S

A
A L A   D E   L E I T U R

HOME PAGE

ESCRITORES
PROFESSOR VIRTUAL
TESTES EDUCATIVOS

JOGOS LITERÁRIOS

SOB ENCOMENDA
SALA DE LEITURA
BUSCA LITERÁRIA
SEBO DA CULTURA

 SALA  DE  LEITURA 
 ARTIGOS   AUTO AJUDA   CINEMA   CONTOS   CRÔNICAS   ERÓTICO   ESOTÉRICO   EXPRESSÕES 
 E-ZINE   INFANTIL   MEDITAÇÃO   NOVELA   PIADA   POESIA   PROVÉRBIOS   TEATRO 

Como fazer sinopse

Mundo da Ficção - Edição de 01/07/2000 - Autoria & Cia.

A função da sinopse - recurso muito comum em TV e cinema, meios que exigem investimento financeiro antes da realização de qualquer trabalho - é apresentar a história que se pretende contar. Uma maneira de convencer o investidor a apostar em determinado projeto. E, para cumprir essa que é sua função primordial, a sinopse tem que seguir algumas regras básicas. São elas:
1 - Contar a história 
   2 - Caraterizar os personagens 
   3 - Contextualizar 
   4 - Dar o tom da narrativa 
   

Quando nos referimos a 'Contar a história", significa que devemos apontar ( e não explorar) os fatos marcantes da nossa trama, suas conseqüências e resultados. E já que nesta edição estamos falando da novela "O Cravo e a Rosa", vamos tomá-la mais uma vez como exemplo. Pois bem, se fossemos fazer uma sinopse da novela teríamos que indicar que - a rica e mimada Catarina não deseja casar, mas encontra pela frente o fazendeiro Petruchio, que para salvar sua fazenda da falência decide conquistá-la. Essa sinopse deveria citar os encontros dos dois, e os interesses de Bianca, Batista, Heitor, as artimanhas de Dinorá. É a história contada de forma objetiva, do início ao fim, com todas as informações relevantes para o seu entendimento. Reparem que ao citar Catarina, dissemos "a rica e mimada" e, com isso, já estamos caracterizamos nossa personagem na sinopse. Uma sinopse precisa também dar o tom da narrativa. E isso se faz através do estilo com que é escrita. Reparem nos dois trechos a seguir: Aquela solidão não podia durar para sempre... A jovem e agressiva Catarina havia jurado jamais casar-se. Mas, diante da insistência de um fazendeiro local, acabou se rendendo. Um amor que nasceu do ódio, da desavença. Tudo começa quando ele, com problemas financeiros, pede ajuda a seu tio.... Ou: Anos 20, anos loucos. E assim como eles, a bela Catarina também tinha fama de louca. Doida de pedra, louca varrida, que espantava os pretendentes a pontapés. Era conhecida como "Catarina, a fera". Qual o estilo mais adequado? O segundo, claro - mais solto e por isso mais de acordo com o trabalho. Notem que, nesse segundo exemplo, também já contextualizamos a história, quando nos referimos aos "Anos 20, anos loucos". Fazer uma boa sinopse não é fácil - além de atentar para esses pontos, deve-se evitar prolixidades e desvios, envolver o leitor. É um exercício sedução.

Fonte: www.autoriaecia.com.br

texto anterior

Texto anterior

          

Menu de Novela

menu de novela