Você está no Site do Escritor

menu professor virtual

D I C A S

nada a ver / tudo a ver Essas expressões, embora bem marcadas como oralidade, não raro oferecem dúvida ao serem grafadas. Em textos autorizados como falas em narrativas, deve-se observar o uso do verbo ver ( e não do haver ) , para compor a expressão. Assim: - Eu não tive nada a ver com o que aconteceu aqui. Eles não são os responsáveis, não têm nada a ver com o estrago. - Adoro esse autor. Tem tudo a ver comigo e com o meu modo de pensar.

É necessário / É bom - Observe as construções corretas com essas expressões: É necessário atenção ao atravessar a rua. ==> não há artigo, pronome ou adjetivo especificando o sujeito atenção, por isso tanto o verbo como o adjetivo ficam invariáveis.

mas É necessária muita atenção ao atravessar a rua. ==> O adjetivo muita determina o sujeito da oração e, assim, tanto o verbo como o adjetivo concordam com ele. ==> Foram necessárias muitas provas para a escolha do local. ==>Pimenta é bom para tempero. mas ==>Esta pimenta é boa para tempero.

Você usa corretamente as palavras Anexo e Mesmo? Elas são adjetivos, então,devem concordar com o nome a que se referem. Assim: Arquive as fotos anexas. Os documentos anexos são importantes. Obs: a expressão em anexo é invariável. Assim: Os recursos em anexo continuam aqui. Sempre fui o mesmo homem, mas ela nem sempre foi essa mesma mulher.

Devo fazer primeiro a redação, ou é melhor resolver antes todas as questões? A escolha é pessoal, evidentemente. Cabe ao candidato planejar bem o uso das 4 horas que tem a seu dispor para realizar a prova integralmente. No entanto, é aconselhável que leia cuidadosamente os enunciados dos temas propostos e os das questões, para que tenha uma idéia do nível de dificuldade ou de facilidade que irá encontrar. Essa leitura atenta também facilita a escolha de uma das 3 opções para a redação: dissertação, narração ou carta - a mais interessante, provavelmente, oferecerá melhores condições para sua resolução e o aluno deve estar pronto para reconhecer esse ganho. O rascunho é INDISPENSÁVEL para a redação, em seu próprio benefício. Não o considere uma perda de tempo, mas sim um canal para selecionar seus argumentos e filtrar sua imaginação.

Se um estudante fugir do tema, mas fizer um texto considerado "brilhante" pela Banca, ele perde pontos? (da publicação da Unicamp, Dissertações do Vestibular 99) Sim.Infelizmente, uma redação "brilhante" mas que fuja totalmente ao tema proposto será anulada. Tais casos de anulação justificam-se perfeitamente, dados os objetivos da prova de redação. Ela não é apenas um exercício de escrita, mas sim de leitura e escrita. O candidato que fugir totalmente ao tema estará demonstrando, de forma inequívoca, não ter sido capaz de compreender minimamente as instruções dadas para o desenvolvimento do tema que escolheu. Vale lembrar, no entanto, que é praticamente impossível ser um excelente escritor sem possuir habilidades mínimas para leitura. A Banca de Correção dos Vestibulares Unicamp não tem registro de casos como o mencionado na pergunta.

Usar gírias ou palavras de uso coloquial consideradas incorretas do ponto de vista gramatical, é prejudicial ao texto? Tira pontos? A Unicamp, em sua publicação sobre as dissertações do Vestibular 99, esclarece que o uso de gírias e da linguagem coloquial será avaliado em função do tema escolhido pelo candidato.Para um texto dissertativo elas seriam prejudiciais; já num tema narrativo, se usadas com propriedade, podem contribuir para a caracterização de determinada personagem, tornando-se perfeitamente adequadas ao texto. Da mesma forma, os candidatos não devem tentar sofisticar artificialmente sua linguagem escrita, utilizando palavras ou expressões cujo significado não dominem. Quando se afirma que um texto dissertativo deve apresentar uma linguagem formal, a expectativa é apenas a de que esse grau de formalidade seja compatível com a linguagem esperada de um bom texto escrito por um jovem que concluiu o ensino médio.

demais e de mais - quando usar? É preciso atenção para usar a forma adequada para cada contexto.Embora o som seja o mesmo, as palavras têm sentido diferenciado e não podem ser usadas indiscriminadamente. demais pode ser advérbio, com o significado de "muito" e, dessa forma, intensifica verbos, adjetivos e outros advérbios. Assim: Falou demais na festa. Seu discurso foi longo demais. Demais pode ser também pronome indefinido, significando "os outros", "os restantes". Assim: Venham vocês dois, os demais aguardarão nova chamada. de mais - opõe-se a de menos.Refere-se a um substantivo ou a um pronome. Assim: Não vi nada de mais naquela roupa tão cara. Houve reclamações de mais por causa da mudança de horário.

retificar ou ratificar ? As duas formas são corretas ? Exatamente, as duas formas são corretas, porém usadas em contextos diferentes, por terem significação distinta. Assim, é preciso, primeiro, identificar o assunto para não cometer erro na sua escolha. retificar significa corrigir, emendar um erro. Assim: Foi preciso retificar toda a grade de correção das provas. Ele reconsiderou e retificou sua proposta. ratificar quer dizer confirmar, tornar válido. Assim: Os prazos foram ratificados, ou seja, os trabalhos deverão ser entregues nos dias já marcados. Vim ratificar minha adesão ao Partido.

verbo Vir e verbo Ver - você sabe usar corretamente as formas do futuro do subjuntivo desses verbos? Observa-se erro constante no emprego desse tempo verbal, em relação aos verbos acima; portanto, atenção para a forma correta de cada um deles. vir ===> vier Assim: Se você vier ficarei feliz. Quando eu vier trarei notícias. ver ===> vir Assim: Se você vir Pedro, abrace-o por mim. Quando eu o vir falarei de vocês.

senso e censo - atenção para o uso correto. É muito comum a confusão entre essas duas palavras. Atenção, pois, ao usá-las. senso é raciocínio, juízo, faculdade de apreciar, de julgar. Assim: Tem bom senso aquele diretor. Eles não têm o senso do ridículo, agindo dessa maneira. censo é o mesmo que recenseamento, o conjunto de dados estatísticos dos habitantes de uma cidade, estado, país. Assim: Milhares de pessoas foram recrutadas para fazer o censo de 2000.

discriminar e descriminar - quando usar? Muitos assuntos atuais trabalham o problema da discriminação. Mas, não poucas vezes, encontramos a palavra grafada erradamente. Atenção, pois, ao uso e à grafia correta para cada situação. discriminar significa distinguir,estabelecer diferença, separar. Assim: Não devemos discriminar as pessoas por serem diferentes de nós. descriminar significa inocentar, tirar a culpa. Assim: O juiz descriminou o rapaz e deixou-o ir.

infringir ou infligir? Quando usar? É bastante freqüente o engano em relação ao emprego adequado dessas palavras. Sendo elas de uso comum, torna-se necessário cuidado e atenção ao contexto onde estarão inseridas. Infringir é transgredir, violar, desrespeitar. Assim: Infringi o sinal de trânsito e recebi pesada multa. infligir é aplicar pena ou castigo. Assim: Infligiram severo castigo ao prisioneiro.

flagrante e fragrante - qual a forma correta? As duas palavras são corretas, cada qual devendo ser aplicada em seu devido contexto, pois o sentido delas é diferente. Observe: flagrante significa evidente. Assim: Era flagrante seu interesse no caso. Em flagrante significa - na ocasião de cometer um ato. Assim: Ele foi pego em flagrante e preso. fragrante significa perfumado, aromático. Assim: Eram flores lindas e fragrantes

luxo e luxúria - há diferença no uso dessas palavras ? É freqüente o uso equivocado desses dois substantivos. Sendo assim, é importante identificar corretamente seu sentido para usá-los adequadamente. evitando o erro. luxo Significa: modo de vida caracterizado por grandes despesas supérfluas e pelo gosto de ostentação ; diz-se do que é suntuoso, caro, magnífico. Assim em: O luxo em que vivia admirava a todos. Suas roupas eram um luxo só. luxúria Tem a ver com sensualidade, libertinagem, devassidão. Assim em : A luxúria transparecia no seu olhar. Em situações bem específicas esse termo é usado. Atenção, pois.

Chegado ? Atenção para o uso do particípio do verbo chegar. chegado - essa é a forma regular do particípio passado do verbo chegar, e é como deve ser usada na língua culta. Assim: Eu havia chegado tarde para o ensaio. Todos já haviam chegado há algum tempo. Outros verbos têm particípio duplo: ganhar, gastar,pagar, soltar, limpar etc. Chegar não está nesse caso, por isso, atenção ao usá-lo.

Ao encontro de e de encontro a - Como usar essas expressões? ao encontro de - essa expressão significa "ser favorável", "aproximar-se de". Assim: Suas idéias vêm ao encontro das minhas;agora, somos dois a pensar igual. de encontro a - o significado é de oposição, choque, colisão. Assim: Sua opinião vem sempre de encontro à minha.Nunca nos entendemos! O carro foi de encontro ao muro. Atenção - tratando-se de um engano muito freqüente, é preciso estar atento para usar adequadamente a expressão exigida pelo contexto.

A e há (na expressão de tempo) A - usa-se para indicar o fato que está por acontecer.Trata-se de uma preposição. Assim: Chegarei daqui a duas horas. Viajarei de hoje a dez dias. há - indica tempo passado, fato acontecido. Nesse sentido equivale ao verbo fazer. Assim: Partiram há algumas horas. Choveu muito há poucos dias.

Vultoso ou Vultuoso ? Vultoso - é o termo que você terá que usar quando pretender dizer que algo é de valor, de vulto, grande. Assim: Eram negócios vultosos, envolvendo grandes somas de dinheiro. Quantias vultosas eram enviadas para o exterior. Vultuoso - adjetivo usado para indicar que a pessoa está com sintomas de vultuosidade. Inchaço. Assim: Seus lábios vultuosos davam má impressão. Portanto, como pode ver, será muito mais comum a oportunidade de usar o adjetivo vultoso em seus textos. Atenção, pois.

A fim (de) e Afim Quando devo usar essas formas? a fim (de) é uma locução prepositiva indicando finalidade. Seu sentido pode equivaler ao conhecido "para". Observe: Levantou-se a fim de receber o abraço. afim é um adjetivo, algo que apresenta afinidade, identidade, igualdade. Usa-se, também, para indicar parentes não de sangue, mas por casamento. Assim: História e Geografia são matérias afins = são matérias que têm pontos em comum. Eu e Pedro somos parentes afins = temos um tio em comum. Atenção - Geralmente, em suas redações, você estará usando a forma "a fim de" , exigida pelo sentido do contexto. Esteja sempre atento.

Acerca de e Há cerca de. Quando usar? O uso dessas expressões é, geralmente, motivo de dúvida ao se redigir um texto. Sua aplicação, porém, é bem distinta: Acerca de é uma locução prepositiva e equivale a sobre, a respeito de. Assim em: Nada falei acerca disso. = Nada falei sobre isso. Falávamos acerca da invasão de terras. = Falávamos a respeito da invasão das terras. Há cerca de em que o verbo haver, indicando tempo, dá à expressão um sentido próximo de “faz”: Deixou a casa há cerca de meia hora. = Faz mais ou menos meia hora que ele deixou a casa. Começou a chover há cerca de uns 20 minutos. = Começou a chover faz uns 20 minutos.

À-toa ou À toa? Qual a forma correta? As duas formas são corretas, mas o emprego é diferenciado. À-toa é um adjetivo,acompanha substantivos. Significa fácil, insignificante, desprezível.Assim em: Foi uma discussão à-toa. Ela era uma mulher à-toa. À toa é uma locução adverbial.Significa sem razão, ao acaso, sem ter o que fazer. Assim em: "Estava à toa na vida, o meu amor me chamou..." Saiu pela rua à toa, nem tinha aonde ir.

Posso escrever minha Redação dissertativa, no vestibular, com menos de 20 linhas? Você pode escrever menos de 20 linhas. Não é essa a condição essencial para zerar seu texto. No entanto, considerando-se um tamanho normal de letra, é muito difícil conseguir apresentar a introdução, seguida de uma boa argumentação para a posterior conclusão, com um número reduzido de linhas. Provavelmente, a avaliação considerará o texto como "abaixo da média", o que não é interessante para nenhum candidato no Vestibular.

Meu texto de Redação deve limitar-se a 30 linhas no Vestibular? Você poderá escrever mais de 30 linhas na Unesp, Fuvest e Unicamp. Se pesquisar no site da Fuvest, onde ela apresenta algumas das melhores redações, verá que a número 13 e a 34 indicaram o verso da folha e lá completaram o texto. Alguns outros vestibulares, contudo, exigem um determinado número de linhas e então, sim, você deverá seguir aquela orientação.

Vale a pena tentar a Narrativa no Vestibular? Depende. O texto narrativo oferece uma leitura interessante e mais variada do que as dissertações, nas quais não se criar em cima do tema proposto. Na proposta narrativa, o elemento criatividade abre caminhos para a sua história. O importante é estar consciente de que é capaz de trabalhar personagens e ações num determinado cenário e espaço de tempo delimitado. Se gosta de contar histórias e consegue dar a elas verossimilhança, pode considerar a escolha da Narrativa como uma boa pedida.

"Um bom leitor" - que vem a ser? O bom leitor trabalha não apenas com as palavras que vê escritas, mas com a conotação delas em relação ao texto em que se encontram inseridas. Ao ler um texto, você, mesmo que inconscientemente, leva em consideração um conjunto de informações que o ajudam a decidir que sentidos devem ser levados em conta e quais devem ser desconsiderados na interpretação das palavras ou expressões daquele determinado texto. Sem essa associação, a leitura corre o risco de ser mal interpretada, e seu leitor incorrerá em erro. Por exemplo, em Portugal, você encontra, num determinado lugar uma placa, dizendo apenas: "Por favor, deite no lixo". É claro que, mesmo como turista, você não vai se deitar na lixeira, pois compreendeu que, de maneira sucinta e educada, está se pedindo que o lixo seja colocado nas lixeiras e não atirado ao chão... Adaptado do Vestibular Unicamp,Língua Portuguesa, p.7

Por que ter cuidado com a "dupla negação"? Embora alguns contestem, não raras vezes, a dupla negação pode acarretar uma idéia de afirmação e, assim , descaracterizar o texto onde se insere. A questão 8, do Vestibular Unicamp / 91 mostra um claro exemplo. Atente para o verbo desistir na seqüência a que pertence e observe como fica a informação: "Um grupo de conselheiros da Ponte Preta, descontentes com a atual situação do clube, já articula uma chapa de oposição para disputar a presidência do Conselho Deliberativo, na eleição prevista até o final do ano. Diante dessa posição, é provável que Pedro Antonio Chaib - atual presidente - desista da idéia de não concorrer à reeleição". Diário do Povo, Campinas, 13.11.90

Em que: desistir = não querer mais Então o presidente não quer mais não concorrer, ou seja, ELE QUER CONCORRER. É preciso cuidado para não criar situações semelhantes, evitando contradição em nosso texto.

Se eu usar palavras comuns em meu texto, evito dubiedade de interpretação por parte de meu leitor. Correto? Não necessariamente. O uso de termos comuns não impede a ambigüidade na interpretação. É preciso cuidado ao formular seu pensamento. Exemplo claro oferece a questão nº4, da 2ªfase Unicamp/96 em que a palavra "dever" na pergunta " Os juros devem ficar altos?" foi lida de duas maneiras diferentes. Assim, um dos entrevistados entendeu dever como precisar, ter necessidade e o outro interpretou o mesmo verbo como sim, provavelmente, ocasionando respostas conflitantes, quando, na verdade, eles tinham a mesma opinião a respeito do assunto.

Se eu contrariar a suposta opinão da Banca serei prejudicado? A Banca Corretora está instruída para aceitar as várias opiniões dos candidatos. A exigência é de que seu texto seja coerente dentro da linha de pensamento que se dispõe a defender.

Tenho que escrever apenas 3 parágrafos na minha dissertação? Embora essa seja a maneira simplista do ensino da dissertação, você pode escrever mais parágrafos, contando que não se esqueça de trabalhar a introdução, a discussão e a conclusão da sua proposta.

Devo ser radical nas minhas opinões ou posso ficar entre duas? Você não tem que ser radical, a não ser que isso seja exigido na orientação de sua prova. Basta que tenha argumentos ponderáveis para justificar-se ao assumir uma postura intermediária.

A originalidade do título vale pontos na redação? De um modo geral o título não vale pontos, mas como ele representa seu projeto de texto, quanto mais adequado for, melhor

Tenho que ter letra bonita? Sua letra não precisa ser bonita, mas TEM que ser legível, para oferecer a leitura exata ao seu corretor.

Posso usar letra de forma? A letra de forma pode ser usada. No entanto, as iniciais de parágrafos ou as maiúsculas, devem ser maiores que as demais, a fim de evitar que o texto pareça um único parágrafo.

Esqueci de colocar título na redação. Ela será anulada? Sua redação não será anulada por falta de título, A NÃO SER QUE ISSO ESTEJA AVISADO NA SUA PROVA.

www.educlad.com.br

                                                                   assunto anterior                                                         próximo assunto