Terapia da Cozinha

Acentuação gráfica

A Acentuação Gráfica tem como pré-requisito o conhecimento da pronúncia dos vocábulos em que fica claro a presença do acento tônico.
Desse modo, podemos aplicar, de início, uma regra geral que já facilita o emprego do acento gráfico.
REGRA GERAL: Acentuam-se graficamente aqueles vocábulos que sem acento poderiam ser lidos ou então interpretados de outra forma.
Exemplos: secretária/secretaria - ambrósia/ambrosia - sábia/sabia/sabiá
DICAS PARA UMA CONSULTA RÁPIDA
Se você tem alguma dúvida sobre a acentuação gráfica de uma palavra, siga as seguintes etapas:
1. Pronuncie a palavra bem devagar, procurando sentir onde se localiza o seu acento tônico, isto é, a sua sílaba mais forte. (Em relação à pronúncia e à correta acentuação tônica das palavras, consulte o link ORTOEPIA E PROSÓDIA desta página.)
2. Se a sílaba tônica estiver na última sílaba da palavra, esta será considerada uma palavra OXÍTONA; exemplos: caPUZ, uruBU, aMOR, etc.
3. Já se a sílaba tônica cair na penúltima sílaba, a palavra será PAROXÍTONA; exemplos: CAsa, cerTEza, GAlo, coRAgem, etc.
4. Por fim, estando a sílaba tônica na antepenúltima sílaba da palavra, esta se denominará PROPAROXÍTONA; exemplos: arquiPÉlago, reLÂMpago, CÔNcavo, etc.
5. Classificada a palavra quanto à posição de sua sílaba tônica, procure então nas regras abaixo se ela deverá receber um acento gráfico ou não, para a sua correta representação.
REGRAS BÁSICAS
Devem ser acentuados os MONOSSÍLABOS (palavras de uma só sílaba) TÔNICOS terminados em "a", "e", "o", seguidos ou não de s: pá, pé, nó, pás, pés, nós, etc.
Observação: Os monossílabos tônicos terminados em "z", assim como todas as outras palavras da língua portuguesa terminadas com essa mesma letra, não são acentuados: luz, giz, dez... (compare os seguintes parônimos: nós/noz, pás/paz, vês/vez).
Também os monossílabos tônicos, terminados em "i" e "u", não recebem acento gráfico: pai, vai, boi, mau, pau, etc.
OXÍTONAS
Acentuam-se as palavras oxítonas terminadas em "a", "e", "o", seguidas ou não de s; e também com as terminações "em" e "ens".
Exemplos: cajá, café, jiló, bebê, robô, armazém, alguém, reféns, etc.
Observações:
1. As formas verbais terminadas em "a", "e" e "o", seguidas dos pronomes la(s) ou lo(s) devem ser acentuadas. Exemplos: encontrá-lo, recebê-la, dispô-los, amá-lo-ia, vendê-la-ia, etc.
2. Não se acentuam as oxítonas terminadas em:
_ az, ez, iz, oz - capaz, tenaz, talvez, altivez, juiz, raiz, feroz...
_ i(s) - Anhembi, Parati, anis, barris, dividi-lo, adquiri-las...;
_ u(s) - caju, pitu, zebu, Caxambu, Bauru, Iguaçu, Bangu, compus...;
_ or - ator, diretor, detetor, condor, impor, compor, compositor...;
_ im - ruim, capim, assim, aipim, folhetim, boletim, espadachim...;
PAROXÍTONAS
Não são acentuadas as paroxítonas terminadas em "a", "e", "o", seguidas ou não de s; e também as finalizadas com "em" e "ens".
Exemplos: cama, seda, flecha, rede, sede, pote, ovo, coco, bolo, garagem, ferrugem, idem, item, nuvens, imagens, viagens, etc.
São acentuadas as paroxítonas terminadas em:
_ r / x / n / l (Dica: Lembre-se das consoantes da palavra RouXiNoL)
Exemplos: mártir, fêmur, fácil, útil, elétron, tórax, córtex, etc.
Observação: Entretanto, palavras como PÓLEN, HÍFEN, quando no plural (POLENS, HIFENS), não recebem o acento gráfico, porque nesta forma elas são regidas pela regra anterior. A palavra HÍFEN possui ainda um outro plural que no caso é acentuado por ser proparoxítono: HÍFENES.
_ i / is
Exemplos: júri, cáqui (cor), lápis, miosótis, íris, tênis, cútis, etc.
Observação: Os prefixos paroxítonos, mesmo terminados em "i" ou "r", não são acentuados. Exemplos: semi, anti, hiper, super, etc.
_ ã / ão (seguidas ou não de S)
Observação: O til não é considerado acento gráfico, e sim uma marca de nasalidade.
Exemplos: ímã (ímãs), órfã (órfãs), órfão (órfãos), bênção (bênçãos) etc.
_ ôo / ôos
Exemplos: vôo, enjôo, abençôo, perdôo, etc.
_ ps
Exemplos: bíceps, fórceps, etc.
_ us / um / uns
Exemplos: vírus, bônus, álbum, álbuns, etc.
_ ditongos orais, crescentes ou decrescentes, seguidos ou não de s.
Exemplos: água, mágoa, ódio, jóquei, férteis, fósseis, fôsseis, túneis, úteis, variáveis, área, série, sábio, etc.
PROPAROXÍTONAS
Todas as palavras proparoxítonas são acentuadas.
Exemplos: lâmpada, côncavo, lêvedo, pássaro, relâmpago, máscara, árabe, gótico, límpido, louvaríamos, devêssemos, pêndulo, fôlego, recôndito, cândido, etc.
REGRAS GENÉRICAS
Além dessas regras vistas acima, que se baseiam na posição da sílaba tônica e na terminação, existem outras que levam em conta aspectos específicos da sonoridade das palavras.
Assim, são acentuadas as palavras com as seguintes características:
A) Quando possuírem ditongos abertos em sílaba tônica como "ei", "eu", "oi", seguidos ou não de s.
Exemplos: anéis, geléia, céu, chapéu, herói, heróico, anzóis, etc.
Observações:
1. Atente-se que se esses ditongos abertos não estiverem na sílaba tônica da palavra, eles não serão acentuados. Exemplos: pasteiZInhos, chapeuZInho, anzoiZInhos, etc.
2. Se o ditongo apresentar timbre fechado, não haverá acento como em azeite, manteiga, judeu, hebreu, apoio, arroio, comboio, etc. Isso só vale para os ditongos "ei", "eu" e "oi", porque só com esses três ditongos pode haver a variação aberto/fechado. O ditongo "au", por exemplo, é sempre aberto (grau, nau, degrau, pau); por isso nunca será necessário diferenciá-lo de nada, ou seja, não será necessário acentuá-lo.
B) Quando a segunda vogal do hiato for "i" ou "u" tônicos, acompanhados ou não de s, haverá acento: saída, proíbo, faísca, caíste, saúva, viúva, balaústre, país, baú, Gravataí, Grajaú, juízes, raízes, etc.
Esta regra aplica-se também às formas verbais seguidas de lo(s) ou la(s): possuí-lo, distribuí-lo, substituí-lo, atraí-la, construí-los...
Observações:
1. Quando a vogal "i" ou a vogal "u" forem acompanhadas de outra letra que não seja s, não haverá acento: paul, Raul, cairmos, contribuinte...;
2. Se o "i" for seguido de "nh", não haverá acento como em: rainha, moinho, tainha, campainha, etc;
3. As formas verbais "possui", "sai", "cai", por exemplo, podem ou não aparecer acentuadas. Se forem a terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos possuir, sair, cair, elas não levarão acento: Ele/Ela possui, sai, cai. Se, no entanto, forem a primeira pessoa do singular do pretérito perfeito, as formas serão acentuadas: Eu possuí, saí, caí.
C) Quando certas palavras possuírem as formas "gue", "gui", "que", "qui", onde o "u" é pronunciado (sem constituir, porém, um hiato) como no caso de "averigüemos, agüentar, lingüiça, seqüestro, eqüino, eqüilátero, freqüente, conseqüentemente, delinqüente, tranqüilo, tranqüilidade, qüinquagésimo, qüinqüenal, enxágüem, pingüim, argüição, ambigüidade", esse u, que é átono, receberá o trema. No entanto, quando o u for tônico, ele levará um acento agudo como em "averigúe, argúe, obliqúe", etc.
D) Existem ainda palavras com a possibilidade de dupla pronúncia, possuindo assim dupla possibilidade de acentuação, são elas: liquidificador/liqüidificador, líquido/líqüido, liquidação /liqüidação, sanguíneo/sangüíneo, sanguinário/sangüinário, equidistante/eqüidistante, antiguidade/antigüidade, antiquíssimo/antiqüíssimo, equidade/eqüidade, equivalente/eqüivalente.
ACENTO DIFERENCIAL
Apesar deste tipo de acento ter sido abolido pela lei 5.765, de 1971, existe ainda um único caso remanescente desse tipo de acento. Trata-se das formas do verbo PODER, onde no presente do indicativo não recebe acento gráfico: "Ele pode estudar sozinho"; mas no pretérito perfeito é acentuada: "Ela não pôde sair ontem à noite".
Há ainda algumas palavras que recebem acento diferencial de tonicidade, ou seja, são palavras que se escrevem com as mesmas letras (homografia), mas têm oposição tônica (tônica/átona).
Exemplos:
pôr (verbo)
por (preposição)
pára (forma do verbo parar, também presente em algumas palavras compostas:
pára-brisa, pára-quedas, pára-raios, pára-lama)
para (preposição)
côas, côa (formas do presente do indicativo do verbo coar)
coas, coa (preposição com + artigo a e as, respectivamente; essas
formas são comuns em poesia)
péla, pélas (formas do verbo pelar, ou substantivo=bola de brinquedo)
pela, pelas (contrações de preposição e artigo)
pêlo, pêlos (substantivo)
pélo (forma do verbo pelar)
pelo, pelos (contrações de preposição e artigo)
pêra, peras (substantivo=fruta)
péra, péras (substantivo, ant.=pedra)
pera, peras (preposição arcaica)
pêro, Pêro (substantivos=maçã doce e oblonga, e denominação dada pelos índios aos portugueses nos primeiros anos da colonização)
pero (conjunção arcaica=porém, mas, ainda que)
pôla (substantivo=ramo novo de árvore)
póla (substantivo=surra)
pola (contração arcaica de preposição e artigo)
pôlo (substantivo=falcão ou gavião)
pólo (substantivo=extremidade do eixo da Terra)
polo (contração arcaica de preposição e artigo)
Já o acento grave assinala a contração da preposição "a" com o artigo "a" e com os pronomes demonstrativos "aquele, aquela, aquilo".
Exemplos:
Irei à Bahia amanhã.
Assistiremos àquele filme juntos.
Ela não deu importância àquilo que você falou.
VERBOS QUE POSSUEM COMPORTAMENTO PECULIAR QUANTO À ACENTUAÇÃO GRÁFICA
Os verbos "crer, ler e ver", na terceira pessoa do singular do presente do indicativo (e o verbo dar no presente do subjuntivo), são monossílabos tônicos acentuados, tendo na terceira pessoa do plural o "e" dobrado e recebem acento no primeiro "e".
Exemplos:
Ela crê em Deus fervorosamente / Elas crêem em Deus fervorosamente
Ana vê televisão o dia todo / Ana e suas amigas vêem televisão o dia todo
Carlos lê jornal diariamente / Carlos e seu pai lêem jornal diariamente
Todos esperam que Bruno dê o melhor de si no próximo jogo /
Todos esperam que os jogadores dêem o melhor de si no próximo jogo
Observação: O aspecto do "e" dobrado e do primeiro "e" ser acentuado na terceira pessoa do plural dos verbos mencionados acima também ocorre em seus compostos como descrer, rever, reler, etc.
Exemplos:
Eles descrêem na vida em outros planetas.
À noite, muitas pessoas revêem suas ações durante o dia.
Os escritores relêem várias vezes seus livros antes de publicá-los.
Os verbos "vir e ter", na terceira pessoa do singular, não são acentuados; entretanto, na terceira do plural recebem o acento circunflexo.
Exemplos:
João vem de Brasília amanhã.
Os deputados vêm de Brasília amanhã.
Ela tem um bom coração.
Os jovens têm a vida em suas mãos.
Observação: Atente-se, no entanto, para os compostos desses verbos que recebem um acento agudo na terceira pessoa do singular, mas continuam com o acento circunflexo na terceira do plural.
Exemplos:
O Banco Central normalmente intervém em bancos com dificuldades financeiras.
Os EUA intervêm a todo momento em assuntos que só dizem respeito a outros países.
Xuxa entretém as crianças sempre com muito carinho.
Os palhaços entretêm a platéia que se diverte a valer.


Assunto anterior

Assunto anterior

          

Próximo assunto

Próximo assunto