Você está no Site do Escritor

menu infantil

Como escrever livros para crianças: dicas para a redação de livros

Por: Manoel Rodrigues

Você sonha em ser o próximo Dr. Seuss, escrever um livro clássico como "Boa Noite Lua?" Ou talvez você gostaria de escrever o próximo grande children's nonfiction book. Escrever livros infantis pode não ser tão fácil como parece, mas você pode melhorar as suas chances de ter os seus trabalhos publicados se seguir alguns passos básicos. Para aprender como escrever livros infantis, continue lendo. Uma maneira excelente de começar seria você ter o seu exemplar de How to Write a Great Children's Book - este guia ensinará a você o certo e o errado na redação de livros infantis para crianças de qualquer faixa etária, e tem numerosas dicas sobre como escrever livros, que você pode aplicar a praticamente qualquer projeto. Veja aqui algumas dicas sobre como escrever, se estiver interessado em criar livros para crianças:
Escolha o seu público. Não há nada pior do que um livro que está muito acima ou muito abaixo do nível de seu público. Procure manter o seu trabalho vinculado a uma idade específica, fazendo sua sua história adaptar-se a esta idade. Ao escolher uma gama muito ampla de idades, o mais provável é você perder a atenção das crianças mais novas ou mais velhas. Por exemplo, se quiser criar um livro de figuras, fale sobre os interesses das crianças mais jovens. Se você quer escrever uma história mais baseada em romance, vai precisar projetá-la para uma audiência mais velha. Você pode optar por escrever para mais de uma faixa etária, desde que consiga efetivamente se organizar e manter cada trabalho perfeitamente dentro da faixa etária a que se destina (quanto ao conteúdo e quanto ao vocabulário).
Pesquise a capacidade de leitura para a faixa etária que você escolheu. Isto vem junto com o conhecimento de seu público. Se você escolhe palavras para descrever coisas em sua história que são muito avançadas ou muito elementares, não vai conseguir manter a atenção das crianças. Existem livros disponíveis que expõem palavras e frases para cada nível etário, que as crianças são capazes de ler e compreender. Um destes livros que é um bom recurso é chamado Writer's Children's Book Word por Alijandra Mogilner.
Leia tantos livros infantis que possível. Uma das melhores dicas que já recebi, sobre escrever um livro, é começar a ler mais. Ler livros do mesmo nível para o que deseja escrever é provavelmente a melhor maneira de sentir como seu livro deveria ser. Observe a extensão das sentenças, a estrutura das frases, o tamanho do livro, e descrições. Você não deve copiar estes trabalhos, mas sinta como um livro para crianças deve ser escrito e em que estilo. A leitura de uma grande quantidade de livros infantis ajudará você a saber se o seu tópico resultará em uma boa história para crianças, e também lhe dará idéias renovadas sobre como escrever o seu próprio livro infantil.
Faça uma tempestade de idéias. Depois chegar a um sentimento sobre o nível acertado dos livros infantis, sente-se e faça um brainstorming (tempestade de idéias - pesquise sobre este assunto em livros ou na Internet, utilize esta técnica exaustivamente durante toda a sua carreira como escritor de livros infantis) para sua própria história. Pense no enredo, cenário, personagens e se o livro vai apresentar lições a serem aprendidas. Comece com um esboço e vá acrescentando mais detalhes e nuances específicas. Se você é também um artista, pode ser útil desenhar imagens que acompanharão sua história. Desenhando ou colocando sua história na forma de uma fotografia, talvez você se dê conta de alguns detalhes que precisam ser descritos, mas você não tinha pensado no assunto. Lembre-se sempre de que histórias para crianças sempre devem ser muito visuais; mesmo se seu livro não terá figuras, inclua muitas e muitas frases extensamente descritivas, para que seus pequenos leitores tenham facilidade em criar as suas próprias imagens mentais do que você está dizendo.
Faça um esboço. Agora é hora de escrever! Um esboço é um bom lugar para começar. Entre no máximo de detalhes possível neste esboço. Você sempre pode eliminar partes desnecessárias quando editar. Em geral é muito mais fácil cortar trechos do que inserir idéias mais tarde para tornar sua história mais longa ou mais completa. Depois de escrever o seu esboço, deixe-o de lado por um dia ou dois e depois volte a lê-lo novamente e edite ou acrescente detalhes importantes que estavam faltando. A produção de um bom livro frequentemente envolve mais edição do que escrever a história propriamente dita.
Deixe uma criança ler a história. Sente-se com uma criança do seu grupo etário, se você conhece uma, e leia a história para ela ou deixe-a ler. Peça idéias para tornar melhor a sua história. Pense nisto como um "teste mercadológico" de seu produto. Se a atividade não capta a atenção da criança, tente novamente! Tente ler para um grupo de crianças para ver como diferentes crianças respondem.
Pesquise editoras. Com frequência excessiva, livros que foram primorosamente escritos não são selecionados para publicação porque o autor os enviou para a editora errada. Informe-se sobre as editoras: áreas de atuação, faixas etárias, assuntos, etc. Confira os sites das editoras para conhecê-las em profundidade, telefone, escreva ou mande e-mails. Muitas editoras têm no seu site um link específico para autores, entre em contato com a editora através deste link.
Existem leis protegendo e regulamentando o direito autoral, faça um registro do direito autoral de seu livro. Pesquise sobre este assunto na Internet, guarde o material que encontrar, de tempos em tempos pesquise novamente para atualizar-se com as alterações da legislação. Você não vai querer ver seu trabalho publicado com autoria de outra pessoa (o que nem sempre é responsabilidade das editoras, alguém pode adorar as suas obras e pegá-las emprestadas...). Se dispuser de algumas economias, considere publicar você mesmo uma pequena tiragem dos seus primeiros livros (duas ou três obras). Muitos autores começam assim. Pesquise na Internet formas de vender estas suas publicações independentes. Pode ser bem interessante as editoras acharem você, em vez de você ter que procurá-las.

Fonte: www.comofazertudo.com.br

Texto anterior

Texto anterior

          

Próximo texto

Próximo texto