Nome da Escritora: Elma Sales Morais - Mediadora

Escritora Elma Morais - livro Gotas de Orvalho

Inveja

A inveja é enganadora,
Tem os olhos do mal
É ácida e corrosiva,
Perniciosa, e mortal.
A inveja destrói amizades
Afasta o Amor,
Alimenta-se de vanglória
Alegra-se com a dor.
Em armadilhas se entrelaça,
Totalmente sem razão
Busca seus próprios interesses
E não sente compaixão.
Livro: Gotas de Orvalho- 2006

Data de Nascimento: 29/08/1867

Sorriso

O sorriso floresceu com o dia,
Nos ares da manhã cresceu
Veio trazendo potes de alegria,
Doce gostinho de céu.
Veio meio sorrisinho
Chegou bem de mansinho
Calado, cheio de carinho.
Dizendo: Não estás só.
Contagiou alegre, e ficou.
Sorrindo trouxe o sorriso.
Gargalhadas expostas de valor,
Transformando as lágrimas do poeta,
Em sorrisos cúmplices de Amor.
Um sorriso tenro e agradável
Alimenta a imaginação.
Os lábios se movimentam
Abrindo-se em fascinação
É de Deus toda alegria
O sorriso do alvorecer
A bênção do contentamento
Cristo em nosso viver
Livro: Gotas de Orvalho- 2006

Local de Nascimento: Fortaleza CE

Contemplação

O agradável gorjear dos pássaros, melodias de louvor.
O Sol de brilho forte resplandece o Teu fulgor
O firmamento estrelado, com luzeiros em vigor,
A imensidão dos mares enaltece o Teu amor.
A arte da criação, lapidação perfeita.
Dos movimentos dos ventos, esculturas são feitas.
As chuvas da estação mudam a paisagem
Colorem as flores que parecem miragens.
No verde, em tons das florestas
Os rios que correm os destinos
As Garças em voo sincrônico
Revelam Teus feitos harmônicos
És o sentido da vida, o sangue que corre nas veias.
O sopro da alma vivente, a justa e potente ideia.
De tuas mãos perfeitas, frutos doces e excelentes.
Em meus olhos humildes, contemplar-te é um presente.
Livro: Gotas de Orvalho- 2006

Formação Acadêmica: Pós-graduada

PAI...

Andando pelas ruas vi a pobreza
A imundice nos olhares do abandono.
O desamor retratado em falsas preces
O banal sendo acolhido como chuva permanente
Onde a semente se espalha trazendo o transgressor
Vi o fanático matar em teu nome
Sem piedade, destruindo os sonhos de quem ama.
Vi o facínora circulando no mercado
Com suas mãos cerradas, barganhando liberdade.
O mero nas calçadas, doendo a sua alma
A leviandade tórrida
O choro, o clamor, a lamúria e a penúria.
Andando nas ruas vi a pobreza
Brotando ligeira nos corações duros.
Vi o cético acreditar no falsário
A dor embalsamada do homem zaino
Os corpos apodrecidos, não menos que a cerne, possuído.
Vi o homem destroçado pela má Fé.
Vi o desigual ser acordado no açoite do poder
Aquelas ruas com estradas largas que arruínam
Dilaceram, estragam, corrompem, matam.
São luzes vermelhas de chama que os possuem
São labirintos aquelas ruas.
Mas olhei para o alto e vi a Esperança
Que desceu do céu, e trouxe o Amor que emana
Que salva o perdido, e transforma o cético
Que enxuga as lágrimas da indiferença.
A pobreza não existe em seu reino
Pois Ele é as primícias de quem dorme
Ressurreto, quebrou os grilhões da MORTE.
E dará salvação a quem Ele escolher.
Cristo, o único, o Justo, o Verdadeiro.
Livro: Gotas de Orvalho- 2006  

Local onde vive: Fortaleza CE

Encanto

Em um canto me encontro a falar com Deus
Encantada com o silêncio na madrugada
Sons de chuvisco a tocar o chão
Canto de aves ainda na escuridão.
Minha oração segue com a solidão
Quero louvar a quem tanto amo
Um Deus fiel que traz à minha alma doçura
Deus que me ama e demonstra ternura.
No meu canto entoo um canto falado
De sublime gratidão a meu Deus amado
Não mereço, pois, sou apenas pequena serva
Que no coração, a palavra de Deus conserva.
Entretanto almejo sair do canto
E repartir essa paz tanto, tanto
Com o outro que jaz em um triste pranto
E não sabe como agir ao desencanto.
Só não quero guardar para mim
A alegria desse tão grande amor sem fim
Que reflita por onde eu passar
O prazer de com Cristo sempre caminhar.
Extraído do livro "Frutos de Oração"

EMAIL: elmamorais@yahoo.com.br

Inspiração poética

De onde procede a inspiração do poeta?
O que está por trás das emoções?
Risca no papel palavras soltas
Tudo o que escreve tem intenção.
Será a razão de sua própria vida?
Lutas, vitórias e andanças?
Do que faz o poeta a arte escrita?
Os poemas que almas encantam?
O horizonte azul tão distante
Ar fresco e brisa da manhã
O choro de mais um que nasce
O perfume da boca de hortelã
O sorriso perfeito da mulata
A formosura da negra cor
As nuances coloridas da natureza
Paixão, romance e dor
O Sol que castiga a tarde
A Lua prateada na escuridão
Astros, estrelas e firmamento
O tempo, a hora e seus momentos
O meu, o nosso e o do outro
A bênção, a aflição, o ócio
Deus e Seus atos de graça
O que se procura e o que se acha
O cruel inimigo do homem
As inverdades que consomem a alma
A indiferença, a guerra e a paz
Nas mãos do poeta se perfaz
A liberdade de escrever o que se pensa
O que se vê, se sente e inventa
O sofrer das idas e vindas
A saudade, a verdade, a lida
São tantos os surtos poéticos
Insanidades que fogem ao padrão
Doçuras que embelezam a vida
Mais que palavras: Literação
Extraído do livro "Frutos de Oração"

Escritora Elma Morais - Livro Frutos de Oração

Procura-se

Procura-se sonhos que não foram sonhados
O desejo de um dia chegar a ser
A vontade de asas, para alcançar as alturas
Crescer, sonhar, amar e viver.
Procura-se o motivo real da alegria
Curiosidade fértil e cautelosa
A fascinação na arte do aprender
Mãos sinceras que cultivam rosas.
Procura-se encantadores de borboletas
Colhendo nos jardins o néctar das flores
Em árvores frondosas, guardando ninhos
Nos troncos, talhando os seus amores.
Procura-se o respeito à dignidade
O amor fraterno e verdadeiro
A amizade companheira, justa e leal
A atitude de menino, eterno aventureiro.
Procura-se contadores da verdadeira história
A satisfação que traz ser o vencedor
A audácia de errar e continuar tentando
A tranquilidade pulsante para a alma transcender.
Procura-se o correr pelos campos
Banho de chuva e afeto materno
Piquenique com bolo, pipoca e maçã
Celebração de família, momento eterno.
Procura-se a gentileza da humanidade
O olhar carinhoso do Pai cuidador
O sorriso leve que a todos encanta
A fartura na mesa do trabalhador.
Procura-se as conversas nas calçadas
Jovens nas praças com abraços de irmãos
A busca pela real democracia
Um povo em luta por trabalho e união.
Procura-se a verdade desmedida
A ética do governo em ação
Justiça para todos em igualdade
A cura para o desatino dessa nação
Extraído do livro "Frutos de Oração"

Professora de Literatura Infantil, poetisa, contadora de histórias. Conselheira e Terapeuta Cristã.

Delete

Momentos de desencanto
De decepções e enganos
De choro derramado pelo passado
Das palavras que te calaram.
A carência do abraço
Dos braços que já se foram.
O amor não retribuído
Os encontros não encontrados.
A brutalidade dominadora
Os sonhos inacabados
Que na infância tão encurtada
Da inocência foram roubados.
As mágoas de chagas abertas
Que continuam vertendo em dor
Inibindo a caminhada
Segregando o pensador.
A palavra infortuna
Da boca do escolhido amante
A revolta da incompreensão
A antipatia do ser não amado.
A inveja do falso próspero
A soberba do opressor
O ciúme que mata a segurança
A intolerância que maltrata o amor.
Delete…
Extraído do livro "Frutos de Oração"

Mande AGORA comentários para a autora

Vale mais

O abraço sincero
A palavra verdadeira
O silêncio companheiro
O olhar de atenção
Vale mais.
A humilde acolhida
O carinho a servir o pão
O sorriso fraterno
O aperto de mão
A comunhão da palavra
A linguagem do Salvador
O enlace dos pensamentos
A harmonia simples do amor
Vale mais.
A simplicidade do diálogo
Palavras de compreensão
A oração na roda de amigos
O sorriso aberto de gratidão
Vale mais.
A caminhada com o fiel amigo
O olhar que diz mais que palavras
A doação da graça que salva
A família de Deus reunida
Vale mais.
O presente sem merecimento
A aliança da salvação
A morte que nos trouxe a vida
Deus em nosso coração.
Vale mais.
Extraído do livro "Frutos de Oração"